Neste ano, o Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (World Council of Credit Unions – Woccu, na sigla em inglês) anunciou como tema da data comemorativa “Serviço Local. Alcance Global”. O objetivo é destacar como a soma da atuação local das cooperativas de crédito resulta em um impacto positivo mundial. No Brasil, a campanha do DICC é liderada pela Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras), com apoio da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB).

Crescimento do cooperativismo de crédito

A abrangência internacional das cooperativas de crédito é evidenciada pelo Woccu. Os dados mais recentes divulgados pela entidade internacional mostram que o segmento já conta com mais de 260 milhões de associados e 89 mil cooperativas de crédito, localizadas em 117 países. A taxa de penetração do segmento – que é calculada dividindo o número total de membros de cooperativas de crédito pela população em idade economicamente ativa de 15 a 64 anos – é de 9,09% no mundo, 11,03% na América Latina e 6,66% no Brasil.

Embora pequena, quando comparada a países da Europa, aos Estados Unidos e ao Canadá, por exemplo, a participação das cooperativas de crédito no Sistema Financeiro Nacional (SFN) tem registrado um constante incremento.

Segundo o Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2019, o número de associados cresceu 42% no país entre 2014 e 2018, chegando a 9,8 milhões de pessoas. São 909 cooperativas de crédito, que empregam mais de 63 mil pessoas e têm uma carteira de crédito superior a R$ 115 bilhões. Essas cooperativas totalizam R$ 190 bilhões em ativos e R$ 41,1 bilhões em patrimônio líquido. Ao todo, as cooperativas de crédito brasileiras disponibilizam mais de 6.200 pontos de atendimento, sendo que em 594 municípios elas são a única instituição financeira presente fisicamente, evidenciando o papel de acesso a serviços e produtos financeiros.

O sistema cooperativista de crédito existe no Brasil desde 1902, e é formado por 988 cooperativas singulares e 5.211 pontos de atendimento. Porém, mesmo com sua amplitude, ainda é desconhecido de uma grande parcela da população. Nos Estados Unidos, 30% da população é cooperada e na Alemanha, 22%. Já por aqui, somente 4% dos brasileiros movimentam seus recursos em uma cooperativa, que funciona como um banco, mas tem um jeito diferente de gerar resultados, tanto econômicos quanto sociais.

As vantagens de uma cooperativa de crédito

Uma cooperativa de crédito presta serviços financeiros aos seus cooperados. Como um banco, possui opções de investimentos, seguros, cartões, conta corrente, consórcio, previdência, poupança etc.
Os cooperados não são meros clientes como nos bancos. Ao mesmo tempo que são usuários, também são donos, com direito a participação nas assembleias para tomada de decisões sobre os rumos da cooperativa.

Para abrir uma conta, basta fazer um depósito inicial, que funciona como uma aplicação. Essa cota varia de cooperativa para cooperativa, e é devolvida com juros se a pessoa quiser encerrar a conta e sair da instituição.
As taxas e tarifas são reduzidas, porque a cooperativa não tem a finalidade de lucro.

Se a cooperativa apurar lucro de aplicações ou investimentos realizados, esse valor é devolvido aos cooperados na mesma proporção do uso dos serviços e produtos.
O cooperado também recebe anualmente a remuneração de juros ao Capital Social, que representa a soma de todas as cotas-partes dos cooperados e forma o patrimônio da cooperativa.

Todos os recursos dos cooperados na cooperativa no valor de até R$250 mil são protegidos pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), que permite recuperar os depósitos ou créditos em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial.  

O Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), caso fosse considerado um grupo financeiro, representaria a 6ª maior instituição financeira do país. As cooperativas financeiras estão presentes em 95% dos municípios brasileiros, sendo que em 627 deles a cooperativa é a ÚNICA forma de inclusão financeira disponível na região. Em 252 municípios do País, o Sicoob é única instituição financeira da cidade.